Ratatouille sem ratinho

Receitas

Originária da Provença, a ratatouille é um dos clássicos da cozinha francesa, e um excelente exemplo da comida mediterrânica: baseada em legumes, colorida e muito saborosa. Esta receita é especialmente dedicada aos que pensam que Ratatouille é apenas o nome do ratinho de um filme de animação…

Receita de Ratatouille

O nome ratatouille foi popularizado pelo filme de animação com o mesmo nome, que conta a história de um ratinho que queria ser cozinheiro. Mas a receita da ratatouille já está identificada desde o século XVIII, e não é mais que uma agradável combinação de alguns dos legumes mais comuns na comida mediterrânica – ou não fosse a Provença uma região do sul de França, de pés mergulhados no mar Mediterrâneo.

A diferença entre a ratatouille “normal” e a receita que apresento, é que aqui os legumes são grelhados, em vez de cozinhados no molho de tomate e ervas. Dá um pouco mais de trabalho, mas é muito mais saboroso e não se torna enjoativo.

É preciso: uma curgete, uma beringela, pimento vermelho e/ou verde, uma cebola, quatro dentes de alho, quatro tomates, sal, pimenta preta, algumas folhas de manjericão ou um raminho de alecrim, uma folha de louro e uma pitada de orégãos. Fica bem servido com azeitonas.

Lavar e cortar a beringela às rodelas com pouco menos de 1 cm e polvilhar com sal grosso, para lhe tirar o eventual gosto amargo. Deixar a escorrer num prato enquanto trata dos restantes legumes: cortar rodelas iguais de curgete e cortar o pimento aos quadrados. Se o pimento estiver muito enrolado, pode espalmá-lo com o rolo da massa.

Passar a beringela por água para retirar o sal, e grelhar os legumes num grelhador de fogão, ou no forno. Enquanto grelham, pode ir fazendo um estrugido numa caçarola, com a cebola e o alho bem picados. Juntar os tomates aos pedaços, até se desfazerem um pouco, e temperar com as ervas indicadas.

Juntar os legumes já grelhados ao tomate e levar ao lume mais alguns minutos. Retificar os temperos e servir com um pão rústico ou arroz branco, frio ou quente, como entrada, acompanhamento, ou prato principal.

Favorecida por um clima ameno, a Provença tem muitos mercados de rua o ano inteiro, onde se encontra tudo o que é preciso para fazer uma ratatouille e muito mais. Em Portugal essa tradição também não morreu, e em muitas cidades também há feiras semanais onde podemos encontrar  legumes frescos biológicos, sem químicos nem conservantes, vendidos por pequenos produtores locais.  Small is beautiful – e ficamos todos a ganhar.


Pub


Quando viajo faço sempre um seguro de viagem pela Nomads


luiza maia Novembro 2, 2014 às 19:30

Ideia super criativa, adorei. Receitas maravilhosas, muita saudades dos lugares por onde andei. Parabéns!

Responder

Comedores de Paisagem Novembro 17, 2014 às 9:56

Cheiros, sabores, temperos… e podemos continuar a viagem em casa! 😉

Responder

luiza maia Novembro 2, 2014 às 19:33

Ideia maravilhosa, receitas idem. Quase senti o cheiro dos lugares por aonde andei.
Parabéns!

Responder

Comedores de Paisagem Novembro 17, 2014 às 9:55

Muito obrigada, Luiza. Para mim, a comida é uma parte importante de qualquer viagem!

Responder

Suely Bischoff Machado de Oliveira Outubro 8, 2017 às 19:32

Olá. Boa tarde
Amo fazer Ratatouille basico,mas aqui percebi que posso também variar, agregando pimentões, azeitonas. Como sou vegana sirvo com carne moida vegana ao molho shoyo, folhas de alface e é claro uma boa taça de vinho tinto suave.Hummmmmmmmmmmmmm

Responder

Comedores de Paisagem Outubro 11, 2017 às 17:12

Parece-me muito bem… :)
Como já deve ter percebido, aqui também somos veganos!

Responder

Deixe o seu comentário!