Abacate em quatro receitas, doces e salgadas

Receitas

Guacamole e Mousse de Cacau são as nossas principais propostas para incluir o abacate na nossa alimentação. Como se não bastasse ser um súper alimento, esta pera tropical é a mais versátil das frutas, podendo ser servida simples, doce ou salgada.

Duas receitas com abacate

As minhas receitas favoritas com abacate são o guacamole e a mousse de cacau. Uma é salgada e a outra doce, e ambas requerem abacates muito maduros e macios, mas não escuros por fora ou por dentro.

Receita de Guacamole

Esta é a receita de guacamole mais simples que existe. Há quem junte ervas, azeite, cebola, azeitonas… e claro que pode fazê-lo. Mas esta é uma receita rápida, com menos ingredientes e mais sabor. É assim que faço há anos, e todos aprovam.

O guacamole tanto serve de entrada como de acompanhamento de bebidas, ou até de recheio de sandes. Tem um paladar que agrada a todos, mesmo a quem acha que não gosta desta maravilhosa pera tropical. Aprendi a fazer guacamole na Guatemala, ainda antes de gostar de abacate simples – isso aprendi mais tarde, durante uma viagem mais longa pelo Chile.

Para uma receita de guacamole para duas pessoas é preciso: 1 abacate grande e maduro, um dente de alho muito picado ou reduzido a puré, um tomate maduro cortado em pedaços (nesta receita usei metades de cinco tomates baby de cores diferentes, para dar cor), sumo de meio limão, sal e pimenta preta a gosto.

Corta-se o abacate a meio, no sentido do comprimento, e retira-se o caroço. Retira-se a polpa do fruto e esmaga-se grosseiramente com um garfo, juntamente com o alho. Tempera-se com o sal, a pimenta e o sumo de limão, e envolve-se os pedaços de tomate nesta pasta. Deve ser feito mesmo antes de servir, para não oxidar enquanto espera.

Acompanha muito bem com um pão rústico em fatias. Ou ainda melhor, com tortilhas ou nachos saudáveis, que se obtêm tostando as tortilhas dos dois lados numa sertã quente sem gordura, e cortando-as depois em triângulos.

Receita de Mousse de Cacau

A receita da mousse de abacate e cacau foi uma espécie de milagre para mim: fez-me comer abacate e cacau, duas coisas que sempre pensei que não me agradavam, muito menos juntas.

Só aprendi a apreciar o abacate doce recentemente, em Moçambique. Ensinaram-me que bastava juntar açúcar e canela para obter uma sobremesa deliciosa (ver em baixo *). Daí à mousse de cacau, foi um passinho. É melhor manter o espírito aberto quando se trata de sabores: basta uma mistura diferente e “corremos o risco” de mudar de opinião!

Para fazer duas porções de mousse de cacau, é preciso: um abacate grande muito maduro, uma vagem de baunilha ou uma colher de chá de açúcar baunilhado, uma colher de sopa rasa de cacau em pó, duas colheres de sopa bem cheias de açúcar mascavado (nesta receita usei rapadura), uma pitada de flor de sal.

Preparar o abacate como para fazer guacamole, mas desta vez fazer um puré bem fino (se o abacate estiver mesmo maduro, não vai ter dificuldade em esmagá-lo com uma colher).

Juntar os restantes ingredientes, à exceção do sal. Levar ao frigorífico pelo menos meia hora antes comer. Polvilhar com sal na altura de servir.

Um súper alimento chamado abacate

O abacate – ou pera abacate – é considerado um súper alimento por ser quase completo em termos nutritivos: é rico em magnésio, potássio, vitaminas A e E, B e C. Tem também proteínas, amidos e gorduras monoinsaturadas. Os seus antioxidantes são especialmente importantes para a pele e para o stress, a gordura é “amiga” do coração e sistema vascular.

Para quem está de dieta tem um contra: as calorias. E uma vantagem: ser muito saciante. Nesse caso recomenda-se não ultrapassar ¼ de um fruto médio, para obter os benefícios sem arcar com os inconvenientes. Para quem não está de dieta, 1/2 a 1 abacate por dia, dá saúde e alegria!

A cereja em cima do bolo é a versatilidade desta fruta. Nem doce, nem salgado, com uma textura cremosa e um sabor suave, o abacate presta-se a tudo: em saladas ou entradas/petiscos como o guacamole, em batidos, como substituição para a cremosidade do leite, em mousses de chocolate ou de fruta – a nossa imaginação é o limite! E ainda por cima come-se cru: é só descascar, cortar, esmagar ou bater no processador de alimentos … e temperar como se quer ou misturar com outros ingredientes.

A árvore é originária do México ou da América do Sul, mas em Portugal há abacates todo o ano, dependendo apenas da variedade de abacateiro e da zona onde foi plantado. Um facto curioso é que o fruto não amadurece na árvore, caindo ao chão e amadurecendo depois.

Para quem não tem mesmo tempo nenhum, aqui ficam duas receitas de recurso para não deixarem de incluir este fruto fantástico no dia a dia:

Receita Salgada: cortar ao meio no sentido do comprimento, retirar o caroço e encher o espaço com sumo de limão. Temperar com um pouco de sal fino e pimenta preta ralada na hora.

*Receita Doce: cortar da mesma maneira, regar com umas gotinhas de limão para não oxidar, polvilhar com açúcar mascavado e canela a gosto.

 

 


Pub


Quando viajo faço sempre um seguro de viagem pela Nomads


Cidália Machado Junho 15, 2015 às 14:10

Miolo esmagado fino e misturado com Vinho do Porto é óptimo como opção (mais ou menos) doce.

Responder

Comedores de Paisagem Junho 15, 2015 às 15:22

Pois, mas o vinho do Porto muitas vezes tem bacon, ovo ou caranguejo para clarear – não conheço nenhum vinho do Porto vegano… :(

Responder

Deixe o seu comentário!