Salada Birmanesa

Receitas

Ao contrário do que acontece na vizinha Tailândia, a gastronomia birmanesa não corre pelas bocas do mundo. Os sabores, os temperos e o gosto pela mistura do doce com o picante são idênticos, mas, por curioso que pareça, em Myanmar é mais fácil encontrar restaurantes com comida indiana e chinesa do que pratos típicos locais, como esta deliciosa salada.

Receita de Salada Birmanesa

Na receita de salada que apresentamos, a base é a couve branca, o tomate e a rúcola, que aparece em substituição de umas folhinhas verdes, que não identifiquei em nenhum dos fantásticos mercados que existem por todo o país.

É preciso: alface, 1 chávena de couve branca em juliana, ½ cebola (de preferência vermelha) igualmente em juliana, uma chávena de folhas de rúcola em pedaços, 1 tomate cortado em palitos, óleo de amendoim (para fritar a cebola e o alho). O tomate pode ser substituído por feijão-verde cozido a vapor.

Uma colher de sopa de cada um destes ingredientes: amendoins tostados, sésamo (de preferência negro), farinha de grão-de-bico*, cebola frita, alho frito, azeite picante (com piripiri), sumo de limão, molho de soja. E meia colher de chá de sal 1 colher de chá de curcuma (açafroa ou açafrão das Índias).

Forrar o prato de servir com folhas de alface. Fritar cebola e alho laminados, separadamente, no óleo de amendoim, até estarem bem dourados; momentos antes de retirar do lume e secar em papel absorvente, polvilhar com a curcuma e mexer.

Com as mãos, misturar a couve, a cebola e a rúcola numa taça. Cortar o tomate em palitos, esmagar ligeiramente os amendoins e misturar com a couve, assim como o sésamo, o alho e a cebola. Tostar ligeiramente a farinha de grão numa sertã sem óleo, só até mudar de cor. Regar a salada com os líquidos e, por fim, polvilhar com a farinha de grão. Misturar uma última vez e colocar sobre as folhas de alface, para servir. É um daqueles pratos que sabem tão bem de verão como de inverno…

Aspeto final da salada

As comunidades indiana e chinesa aumentaram grandemente de número durante a ocupação inglesa do país, no século XIX, e trouxeram consigo as suas riquíssimas gastronomias. A maioria da população, de raiz birmanesa, distribui-se por quase setenta tribos, com costumes, línguas e até religiões diferentes, e a cozinha local varia de acordo com os ingredientes disponíveis, sobretudo a nível de petiscos e pratos ligeiros.

Para os vegetarianos, em Myanmar há uma imensidão de pratos de caril, muitos cogumelos e saladas em combinações surpreendentes, consoante a região.

*compra-se ao quilo em lojas indianas ou mercearias antigas – no Porto, na Favorita do Bolhão (rua Fernandes Tomás) ou na Flor de Açafrão (rua Miguel Bombarda).


Pub


Quando viajo faço sempre um seguro de viagem pela Nomads


Olga Duarte Setembro 17, 2012 às 10:18

Ainda nao provei,mas só pelas fotos dá vontade de o fazer

Aproveito para dizer que adoro o modo como sou envolvida pelas lindas fotos aqui mostradas.
Parabéns Ana!
Beijinhos marítimos :-)

Responder

ana Setembro 19, 2012 às 11:01

Obrigada, obrigada, obrigada.
Aceitamos pedidos sobre os temas do índice!

Responder

Leila Setembro 23, 2012 às 11:33

Eu já provei esta salada, é mesmo deliciosa!
Feita pela Ana só podia ser boa.

Responder

ana Setembro 24, 2012 às 13:09

Ena! Grande elogio! Sobretudo vindo de uma EXCELENTE cozinheira como tu!

Responder

Deixe o seu comentário!